As postagens desse blog são em caráter informal e de apego ao saber popular, com seu entusiasmo, exageros, ingenuidade, acertos ou erros.

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Salmo 23 - O Senhor é o meu pastor, nada me faltará.

Salmo 23:1 narrado por minha querida sobrinha Luna, de dois aninhos. Muito tocante na voz das criancinhas. 


SALMO 23  
1 O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará.
2 Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranquilas.
3 Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome.
4 Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam.
5 Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda.
6 Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do Senhor por longos dias.


 Graças ao Bom Pastor pelas oportunidades diárias!

terça-feira, 23 de junho de 2015

"Uma História Verde do Mundo" - Clive Ponting

Aí galera, vocês conhecem a Biblioteca SEMA? Não!? Saiba que é a principal biblioteca ambiental do estado do Amapá, localizada atrás da Biblioteca Pública Elcy Lacerda, no Formigueiro (Centro), e tem um acervo voltado para as questões ambientais, tipo: ressacas, desmatamento, unidades de conservação e legislação ambiental (assuntos mais procurados).
Biblioteca Ambiental da SEMA em Macapá. 
Ornamentada assim por causa do trabalho de Rosa Dalva.
Foto: João Batista
É, mas não fica só nisso! Alguns assuntos são rotineiramente explorados pela mídia, importantes e para nossa reflexão, como o crescimento populacional acelerado nas últimas décadas. Que diga o Dan Brown, que pegou carona no assunto e lançou "Inferno" em 2013. Esse livro é de apreciação particular e, amado ou detestado, é pautado em um assunto importante. Mas não é dessa obra quero falar...
Se queres pesquisar o assunto então sugiro "Uma História Verde do Mundo", de Clive Ponting, disponível para consultas na Biblioteca SEMA. Olha aí umas considerações...

Obra sensacional, com uma visão geral da relação homem e natureza ao longo da história. Foi escrita em cerca de 20 anos e traz informações, dados e exemplos para reflexão dos fatores característicos nessa relação. Ponto crucial e inicial para perspectivas preservacionistas.
Em um primeiro momento o autor traz o leitor para uma análise dos eventos que se sucederam na Ilha de Páscoa - analogia clássica de como tem sido as relações humanas com o ambiente. A ilha tinha recursos limitados, cada vez mais pressionados e devastados frente ao crescimento acelerado dos ilhéus. Essa sociedade entrou em colapso com a destruição de seu ambiente ao interagir de maneira irracional, resultando em sua ruína, guerras acirradas pelos poucos recursos, extinções de espécies, fome, alterações ambientais e, uma gravidade que não conhecia sobre a história da Ilha de Páscoa - o canibalismo frente ao desespero na falta de recursos. Como essa civilização outras, mais complexas ou não, trilharam pelo mesmo caminho (ou estão nele).
Os aspectos vistos nessa analogia são aprofundados em outros capítulos, como a questão do crescimento populacional. Olha só! Os números impressionam a partir de 1825. Nesse período a população mundial chegou a um bilhão, levando cerca de dois milhões de anos nesse processo. Alarme pelo que se sucedeu! O bilhão seguinte foi alcançado em apenas um século.O  terceiro bilhão levou cerca de trinta anos para ser alcançado (de 1925 a 1960), o próximo foi acrescentado em apenas 15 anos (1975) e a passagem de 4 a 5 bilhões levou aproximadamente doze anos no final dos anos 80 (informações presentes no capítulo 12). 


 O livro é:
Título: Uma História Verde do Mundo
Autor: Clive Ponting
Tradução: Ana Zelma Campos
Editora: Civilização Brasileira
Páginas: 648 (...só isso!)
Ano: 1995
ISBN: 85-200-0203-6
Temas: Civilização / História / Aspectos Ambientais / Ecologia

O crescimento está intimamente relacionado ao modo de produção e obtenção dos bens naturais que, na percepção do autor, está dividido em duas grandes transições na história.
A primeira foi a adoção da agricultura (há dez mil anos), que possibilitou a formação das cidades e desenvolvimento das civilizações com a capacidade de suprir as necessidades de grandes aglomerados. Somou-se a isso outras culturas, como a domesticação de animais e o refinamento na agricultura para obtenção de recursos não necessariamente destinados a alimentação, como a cultura do algodão para obtenção de tecidos. Aspectos negativos também se somaram com as relações pouco harmoniosas. Além da devastação e alteração ambiental, também o convívio com doenças e epidemias.
A segunda transição refere-se a adoção dos combustíveis fósseis (nos últimos 200 anos). Isso potencializou a capacidade de obtenção de recursos com a industrialização, explodiu o crescimento urbano, contribuiu para a hegemonia de países detentores dessa tecnologia sobre países menos desenvolvidos mas com mais recursos disponíveis e estimulou o consumismo com as sociedades afluentes. A expectativa de vida aumentou e as doenças de caráter degenerativo passaram a ter maior incidência. Obviamente a industrialização trouxe muitos impactos ambientais com novas formas de poluição.


Sumário
1) As lições da Ilha da Páscoa (Descobrimentos europeus - Colonização da Polinésia - ascensão e declínio - o "mistério" explicado)
2) Os Fundamentos da História (Influências do mundo físico - significado e papel dos ecossistemas - efeitos na história humana)
3) Noventa e Nove por Cento da História Humana (Modo de vida entre os grupos de concentração e de caça - expansão dos ajuntamentos humanos - variações em técnicas de subsistência - impactos no meio ambiente)
4) A primeira Grande Transição (A lenta transição para a agricultura - três "áreas centrais", Sudoeste da Ásia, China e América Central - consequências sociais e políticas - surgimento de sociedades complexas por todo o mundo - elo com a cultura e lutas armadas)
5) Destruição e Sobrevivência (Impacto ambiental da agricultura - tensão imposta por meios ambientes artificiais - declínio auto-imposto das sociedades do vale da Suméria e Índico - degradação da área mediterrânea - queda dos maias - estabilidade contrastante da agricultura do vale do Nilo)
6) A Longa Batalha (O problema persistente da alimentação da população mundial - limitações da base agrícola na história da China e da Europa - influência do clima - causas e efeitos da desnutrição e da fome - a difusão das colheitas e dos animais - a solução europeia)
7) A Expansão da Colonização Europeia (Colonização interna e transformação da paisagem - a expansão da Europa - - impacto nos povos nativos e culturas através do mundo)
8) Modos de Pensamento (Influência dos pensamentos clássico, judeu e cristão na visão europeia do mundo - o relacionamento entre os seres humanos e o mundo natural - a ideia de progresso - tradições alternativas - impacto da economia clássica e da teoria marxista - a perseguição do crescimento econômico)
9) A Violação do Mundo (Exemplos antigos da destruição da vida selvagem - extinções - impacto da introdução de espécies alienígenas - estudos da história da exploração: pesca - comércio de peles - caça de focas - pesca da baleia - a ideia da preservação)
10) Criando o Terceiro Mundo (As Ilhas Atlânticas no século XV como um microcosmo do desenvolvimento colonial - escravidão e mão-de-obra contratada - em direção a uma economia mundial - fazenda agrícola - expansão e desenvolvimento da colheita comercializada - exploração da madeira e de minerais - consequências para o Terceiro Mundo)
11) A Face Mutante da Morte (Causas, impacto e expansão das doenças infecciosas - a história da peste bubônica - a influência da agricultura, do comércio, do saneamento e da pobreza - crescimento das "doenças da civilização")
12) O Peso dos Números (Diferentes padrões da explosão populacional - expansão da terra agrícola - mudanças na tecnologia da agricultura- origem da indústria alimentícia - a "revolução" verde - problemas da alimentação mundial - desmatamento, erosão do solo, salinização, desertificação - desastres ecológicos através do mundo)
13) A Segunda Grande Transição (Fontes de energia - forças humana, animal, da água e do vento - a primeira crise de energia - transição para combustíveis fósseis - crescimento das fontes de energia e consumo)
14) O Crescimento da Cidade (Cidades pré-industriais - o papel do subúrbio e dos transportes - a conurbação e as metrópoles - cidades do Terceiro Mundo - problemas ambientais)
15) Criando a Sociedade Afluente (A pobreza das sociedades agrícolas - impacto da industrialização - crescimento no consumo e nas vendas a varejo - carros e turismo - problemas da afluência - distribuição das riquezas da Terra - problemas do Terceiro Mundo)
16) Poluindo o Mundo (Poluição inicial da cidade - suprimento de água - remoção do lixo - fumaça - a poluição inicial industrial - efeitos da industrialização - chuva ácida - doenças industriais - novas substâncias químicas - problemas de resíduos tóxicos- poluição nuclear - tráfico - misturando novos coquetéis - CFSs e a camada de ozônio - aquecimento global)
17) A Sombra do Passado (Interpretação ecológica da história humana - estabilidade e sustentação das sociedades humanas - lições do passado)

A extinção de espécies é tratada no capítulo 5 e os relatos impressionam pela perda natural rápida, direta ou indiretamente decorrente da presença humana -
o único ser capaz de se espalhar por todos os ecossistemas e determinar profundas transformações.  
Enfim, o livro traz essas e outras abordagens sobre a "história verde da Terra". Não propõem soluções, mas chama a atenção para a fragilidade na relação homem-natureza, que tem redundado em perdas que podem ser irreversíveis e que deveriam ser tratadas com critérios racionais e sustentáveis.
A obra em primeiro contato parece um calhamaço de desestimulante leitura, mas se revela muito interessante. Li satisfatoriamente em uma semana.  Deve ser conhecida por todos para uma visão histórica do conflito entre o homem e meio ambiente e, mais do que isso, para reflexão, postura autocrítica e de engajamento nas questões ambientais.


Clive Ponting, é um escritor britânico, nascido em 1947, doutor em História pela Reading University, Inglaterra, autor de pesquisas altamente relevantes sobre o meio ambiente. 
 Disponível na Biblioteca Ambiental da SEMA-AP
para consultas.

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Revista ICOMI Notícias Nº 15 (1965)

Edição de março de 1965. O que achei mais interessante foi a reportagem sobre Calçoene, que coloca em paralelo o local de riquezas e disputa territorial com a situação de pouco desenvolvimento. Nessa época a cidade tinha acesso precário, população estimada em 2.500 habitantes (aproximadamente 800 pessoas concentradas na cidade e as demais nas comunidades interioranas) e a energia elétrica era gerada por motor "cartepillar" entre as 18 e 22 horas. O texto resgata também pontos importantes da história da região, como a República Cunani.


Imagens retiradas da edição

Baile no Santana Clube, Vila Amazonas, com o conjunto Os Cometas, de Macapá (1965)
Cena cotidiana em Calçoene (1965): lavadeira na cachoeira do Firmino
Típica embarcação a vela dos rios da Amazônia, outrora meio de transporte mais utilizado na costa do Amapá. A viagem entre Calçoene e Macapá, por exemplo, durava cerca de seis horas.

domingo, 21 de junho de 2015

Estação de Serra do Navio na arte de Wagner Ribeiro

Wagner Ribeiro tem obras sensacionais do cotidiano e história do Amapá, como essa da estação ferroviária de Serra do Navio (tela de 2012).

 Autor: wagnerribeiro59@hotmail.com

A ferrovia (EFA) começou a ser implantada em março de 1954 e sua inauguração foi em janeiro de 1957, tendo a presença de Juscelino Kubitschek. O presidente até se aventurou em uma viagem inaugural. A estação está localizada a cerca 3 km de Serra do Navio. Lamentável ver hoje tudo isso em situação precária!

Veja também

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Revista ICOMI Notícias (Nº 23 - 1965)

Olá, pessoal! Estou disponibilizando mais uma Revista ICOMI Notícias, publicada em novembro de 1965. Histórica e rotineiramente procurada em pesquisas, está legível e completa (na contagem da revista descarta-se a capa e contracapa, com a página número três credenciada como a primeira).


Algumas fotos da edição:
 Alunas do IETA.
 Estudantes de Vila Amazonas.
 Parquinho (play-ground) da escola de Serra do Navio.
 Piscina da ICOMI.